Literatura brasileira e as lesbianidades – Luiz Mott e Lucia Facco

Publicado em 2004, pela editora GLS, As heroínas saem do armário: literatura lésbica contemporânea, resultado da dissertação de mestrado de Lúcia Facco, é uma das raras obras a investigar representações lésbicas na literatura brasileira. Nesse mesmo sentido, temos a pioneira obra O lesbianismo no Brasil, de 1987, de Luiz Mott, que constrói uma detalhada historiografia de obras da literatura brasileira que foram analisadas a partir da presença de personagens homossexuais femininas.

Apesar dessas duas obras, as personagens lésbicas ainda parecem invisíveis à crítica literária brasileira, enquanto a crítica literária britânica, por exemplo, tem a obra The Cambridge History of Gay and Lesbian Literature, organizada pela professora E. L. McCallum e o professor Mikko Tuhkanen, de 2014, e a crítica literária espanhola tem a obra Poesía lesbiana queer: cuerpos y sujetos inadecuados, de Elena Castro, também de 2014.

É interessante observar que, entre 2004 e 2021, muitas outras obras foram redescobertas e muito se pesquisou e escreveu sobre literatura e homossexualidade feminina, mas ainda há um grande gap na produção crítica em relação às dissidências de gênero e sexualidade na literatura brasileira. Por conta disso, as obras de Facco e Mott seguem sendo referências importantíssimas para os estudos lésbicos no campo literário brasileiro. Quem deseja estudar mais sobre as lesbianidades na literatura brasileira encontra nas obras de Facco e Mott um caminho a trilhar.

 364 total views,  3 views today

Carolina Hartfiel Barroso

Graduada em Relações Internacionais pela USP e graduanda em Letras Português/Espanhol na mesma universidade. É pesquisadora de literatura lésbica.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: