3º encontro: Reitoria no Campus, aborda sobre a adoção de uma vaga para Pessoas Trans na Uesb

Por Iuri Brito e Vitor Carlo

Foi realizado o 3º encontro: Reitoria no Campus, na tarde dessa quarta-feira (13), na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Uesb, campus Vitória da Conquista. O momento aconteceu no auditório 1 do módulo Luisão e contou com a presença do reitor Luiz Otávio Magalhães, além de professores, representantes de Conselhos da cidade, estudantes, representantes dos Centros Acadêmicos e Imprensa.

No encontro foi apresentado a proposta de alteração da resolução da política de cotas sociais, raciais, étnicas (indígenas e quilombolas), além da adoção de uma vaga para Pessoas Trans e de um processo seletivo especial para as vagas adicionais na Uesb.

O reitor fez a abertura do encontro e em seu discurso explanou: “O objetivo da política de ações afirmativas da Uesb, é o de combater desigualdades históricas e sociais, estabelecendo condições objetivas de acesso a um direito fundamental a educação para pessoas de grupos sociais excluídos e marginalizados.”

A coordenadora geral do Centro Acadêmico do curso de Jornalismo, Nicole Prado, enfatizou a importância da participação do corpo estudantil nesses debates: “A participação de nós, alunos e alunas, é muito importante, porque, além de ser um evento com a proposta de regulação de cotas, é essencial tanto para a universidade quanto para a sociedade em geral. Nós estamos acompanhando uma evolução social, e que hoje seja um dia em que damos mais um passo de transformação”, afirmou a coordenadora.

A política de reserva de cotas para Pessoa Trans também foi uma pauta levantada no encontro, ressaltando sobre as ações afirmativas para combater desigualdades históricas e sociais e assim estabelecer o direito à educação para integrantes desse grupo social.

A Trans e Travesti, Judá Nunes que é formada em Licenciatura em Teatro pela Uesb de Jequié também esteve presente no encontro. Em entrevista ao site Lalidis ela explanou que o encontro é um primeiro passo para o desenvolvimento de uma política muito importante dentro do Campus de Vitória da Conquista e demais, para a inclusão de pessoas Trans na universidade. A egressa da Uesb ainda enfatizou a falta de pessoas com esse recorte social nas universidades e pontuou alguns dados: “Em 2022, 0,02% das pessoas Trans conseguiram acessar o ensino superior.” Afirmou Nunes.

O encontro já havia acontecido nos campus de Jequié e Itapetinga no início deste mês.

 584 total views,  2 views today

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: