QUEM SOMOS

O laboratório de linguagens e diversidade sexual em virtude do seu interesse na literatura menor e na constelação autobiográfica, busca dar espaço às multidões queer para expressarem e proliferarem suas vozes. Muitas vezes abafadas ou esquecidas, são essas vozes que serão ouvidas em primeiro lugar, ocupando e transformando mais do que apenas os espaços digitais, mas tantos quantos puderem ser ocupados. Viemos para incomodar!

Marcus lima – Professor e pesquisador mineiro, agora um baiano workaholic que está sempre nas nuvens. Tenho casa, marido e um cachorro, um pug xexelento de lindo. Adoro séries históricas e de ficção científica; como ler nunca é demais, passo a vista em qualquer cartaz pregado na parede.

Beatriz Simonassi – Estudante e amante de Comunicação, nasci pronta para o brainstorm. Feminista, ativista, musicista e de Vitória da Conquista, busco colorir a vida com meu jeitinho sagitariano. Me chamam de adaptável.

Bruna Fentanes – Estudante de jornalismo e um pouco designer. Bahiana e nordestina com muito orgulho. Amante dos livros de amor, mas sempre vai adorar os dramas que a vida lhe dá.

Emanuelle Sousa – Conquistense, Sol em Peixes na casa 12, atriz-performer, licenciada em Teatro, Psicóloga. Atualmente pesquisa escrita feminina, erotismo e escritas de si no mestrado em Letras (UESB). Apaixonada por dança, tem 4 gatos e estuda astrologia desde criança. Mexe com bruxaria e joga tarot nas horas vagas.

Lucas Oliveira – Estudante de comunicação e fotografo nas horas vagas. É fã de cinema de horror apesar de sempre apagar a luz e sair correndo com medo do escuro. Como todo canceriano não perde a oportunidade de um bom drama.

Mariana Biurrum – Amante da arte, cantora e compositora de clichês românticos, caiu no Direito de paraquedas. Vegetariana, aspirante a vegana, que ama os animais e sonha em rodar o mundo em uma Kombi. Libriana com ascendente em gêmeos, mais indecisa impossível.

Rafael Urpia – Bixa bruxa, é encantado com tudo o que é místico desde que viu Harry Potter pela primeira vez. Foi na comunicação que encontrou seu aconchego (só assim pra ser tagarela sem julgamentos). Nasceu virginiano bagunceiro e não guenta ouvir um kpop que já corre pra dançar.

Will Figayredo – Letreiro de Letras, cobra por fé, stellium da cabra. Homo de afeto, estudioso pornógrafo de profissão. Passante de vidas, vídeos e livros, passado com o mundo.